domingo, julho 15, 2007

terça-feira, junho 26, 2007

BIG BROTHER

Europeus optimistas quanto à utilização de e-identity

Os europeus têm uma elevada apetência pelas técnicas de biometria e possuem uma visão abrangente quanto às suas capacidades no futuro, nomeadamente no que diz respeito à protecção contra o roubo de identidade. A conclusão é da LogicaCMG que, em conjunto com a consultora Vanson Bourne, elaborou o estudo European Identity Security Survey.

A análise, que aborda a identidade electrónica na Europa, foi realizada em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Holanda, República Checa e Suécia e demonstrou que 77 por cento de todos os europeus ficariam satisfeitos por ter um bilhete de identidade com informação biométrica.

Os números revelados pela empresa indicam ainda que 52 por cento dos inquiridos acreditam que este tipo de registo deveria ser obrigatório para todos os cidadãos e que 58 por cento dos europeus estão dispostos a participar, de forma voluntária, num sistema de registo de identidade governamental com informação biométrica.
IN: http://tek.sapo.pt/4Q0/752571.html

sexta-feira, junho 22, 2007

Quem quer ser Funcionário Público?

"As obrigações fiscais e contributivas a que estão sujeitos os funcionários públicos e os benefícios de que usufruem vão estar sobre um apertado controlo informático. O polémico decreto-lei que, na prática, cria uma gigantesca base de dados na função pública foi ontem aprovado em Conselho de Ministros e conta, desde já, com a forte oposição dos sindicatos.

O objectivo do Governo é vigiar o cumprimento das obrigações fiscais dos funcionários públicos e a correcta atribuição de benefícios a que estes têm direito, sejam fiscais ou sociais. E tendo por base o anteprojecto de diploma que recebeu ontem a aprovação do Governo, e ao qual o PÚBLICO teve acesso, é extravasada em larga medida a autorização legislativa que o Executivo obteve do Parlamento no âmbito da proposta de Orçamento de Estado para 2007 para permitir esta interconexão de dados. Razões que levam os sindicatos a pedir a reapreciação ou mesmo a verificação da legalidade do diploma (ver inquérito na página seguinte).

O Governo quer assim cruzar dados tão díspares como a nacionalidade, residência e estado civil dos funcionários, os benefícios sociais a que têm direito, os rendimentos declarados, o património que possuem ou a situação escolar dos seus filhos. Para que tal seja possível, as bases de dados que poderão ser consultadas vão desde os registos da Caixa Geral de Aposentações (CGA), aos da ADSE ou do fisco. Tudo para atingir três objectivos: "controlo do cumprimento das obrigações contributivas; atribuição rigorosa das prestações sociais; prevenção e combate à fraude e evasão contributiva", lê-se no anteprojecto de diploma."



IN: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1297415&idCanal=undefined

quarta-feira, junho 20, 2007

EUTANÁSIA

A Lei:

Segundo a Lei em Portugal não se pode praticar a Eutanásia. Mas por outro lado a Lei deixa que certos "indivíduos" deixem morrer os seus familiares devido à ética da sua religião.
Ou seja, por um lado a Lei proíbe que se pratique a Eutanásia, mas por outro lado permite.


Lex, dura lex sed lex!

terça-feira, junho 19, 2007

Quem quer ter o 12º ano?

"Nenhum país pode competir na primeira linha da economia global se apenas tiver 30 por cento" da população com o 12º ano, José Socrates dixit.

"O primeiro-ministro, José Sócrates, anunciou hoje em Torres Novas um reforço substancial de cursos profissionalizantes para o ensino básico e secundário, numa aposta que visa combater o insucesso e abandono escolar".

In: Público


O mais importante é que o país tenha a maioria da população activa (?) com o 12º ano. Como?! não interessa!

São os rankings.

segunda-feira, junho 18, 2007

sexta-feira, junho 15, 2007

quarta-feira, junho 13, 2007

Coisas

Estou a precisar de Férias.

Se possivel longe dos locais habituais.

segunda-feira, junho 04, 2007

A vida dos outros

"As Vidas dos Outros" de Florian Henckel von Donnersmarck, com Ulrich Muhe, Martina Gedeck, Sebastian Koch M/12

ALE, 2006, Cores, Com/Dra, 137 min


1984, Alemanha de Leste. Cinco antes antes da Glasnot e da queda do Muro, a população é mantida debaixo de controlo pela Stasi, polícia secreta alemã. A missão da Stasi é apenas uma: saber tudo sobre a vida de todas as pessoas, através de uma vasta cadeia de informadores/denunciadores. O filme acompanha a gradual desilusão do Capitão Gerd Wiesler, um oficial altamente credenciado da Stasi, cuja missão é espiar um famoso escritor, George Dreyman, e a sua esposa, a actriz Christa-Maria Sieland. Segundo o realizador, Florian Henckel von Donnersmarck, no filme "cada personagem coloca questões com as quais nos confrontamos todos os dias: como é que lidamos com o poder e com as ideologias? Seguimos os nossos princípios ou os nossos sentimentos? Mais do que qualquer outra coisa, é um drama sobre a capacidade dos seres humanos fazerem o que está certo, não interessa até onde foram no caminho errado". Vencedor do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.



Ontem o "Público" dedicou 4 páginas a este filme. Foi o último filme que vi no cinema.

Vale a pena ver!

quinta-feira, maio 31, 2007

terça-feira, maio 29, 2007

Greve Geral dos Trabalhadores

AMANHÃ faço GREVE!

E vocês?
Inventem uma ida oa médico. Qualquer coisa. Lutem, lutem....


GREVE, GREVE, GREVE....

segunda-feira, maio 28, 2007

sexta-feira, maio 25, 2007

Algo pro fim de semana

O deserto português

Liberdade de Expressão

Ainda o caso do "prof" que trabalhava na DREN, e que foi despromovido...pra biblioteca: Reflectindo sobre a "despromoção" do tal "prof", quem trabalha em Bibliotecas são mesmo rascas. Não sabem fazer mais nada. É o último local de trabalho da Função Pública.

É a vida!
Aqui fica um excelente post.

quarta-feira, maio 23, 2007

Passo de caranguejo

Multibancos podem perder funcionalidades.
"O sistema único de pagamentos europeus (SEPA) pode vir a eliminar muitas das funcionalidades disponíveis nos multibancos nacionais"... In Destak


Já se fala que iremos pagar para fazer levantamentos de dinheiro, para fazer pagamentos de serviços, carregamentos.....

O pior é que o nosso sistema de multibanco é o mais avançado do mundo, logo vamos "andar para trás".


Somos um país pequeno....para os "experts" da Europa Comunitária.

terça-feira, maio 22, 2007

Pide, Stasi...

Um professor de Inglês, que trabalhava há quase 20 anos na Direcção Regional
de Educação do Norte (DREN), foi suspenso de funções por ter feito um
comentário - que a directora regional, Margarida Moreira, apelida de insulto
- à licenciatura do primeiro-ministro, José Sócrates.

A directora regional não precisa as circunstâncias do comentário, dizendo
apenas que se tratou de um "insulto feito no interior da DREN, durante o
horário de trabalho". Perante aquilo que considera uma situação
"extremamente grave e inaceitável", Margarida Moreira instaurou um processo
disciplinar ao professor Fernando Charrua e decretou a sua suspensão. "Os
funcionários públicos, que prestam serviços públicos, têm de estar acima de
muitas coisas. O sr. primeiro-ministro é o primeiro-ministro de Portugal",
disse a directora regional, que evitou pormenores por o processo se
encontrar em segredo disciplinar. Numa carta enviada a diversas escolas,
Fernando Charrua agradece "a compreensão, simpatia e amizade" dos
profissionais com quem lidou ao longo de 19 anos de serviço na DREN
(interrompidos apenas por um mandato de deputado do PSD na Assembleia da
República).

No texto, conta também o seu afastamento. "Transcreve-se um comentário
jocoso feito por mim, dentro de um gabinete a um "colega" e retirado do
anedotário nacional do caso Sócrates/Independente, pinta-se, maldosamente de
insulto, leva-se à directora regional de Educação do Norte, bloqueia-se
devidamente o computador pessoal do serviço e, em fogo vivo, e a seco, surge
o resultado: "Suspendo-o preventivamente, instauro-lhe processo disciplinar,
participo ao Ministério Público"", escreve.

A directora confirma o despacho, mas insiste no insulto. "Uma coisa é um
comentário ou uma anedota outra coisa é um insulto", sustenta Margarida
Moreira. Sobre a adequação da suspensão, a directora regional diz que se
justificou por "poder haver perturbação do funcionamento do serviço". "Não
tomei a decisão de ânimo leve, foi ponderada", sublinha. E garante: "O
inquérito será justo, não aceitarei pressões de ninguém. Se o professor
estiver inocente e tiver que ser ressarcido, será."

Neste momento, Fernando Charrua já não está suspenso. Depois da interposição
de uma providência cautelar para anular a suspensão preventiva e antes da
decisão do tribunal, o ministério decidiu pôr fim à sua requisição na DREN.
Como o professor, que trabalhava actualmente nos recursos humanos, já não se
encontrava na instituição, a suspensão foi interrompida. O professor voltou
assim à Escola Secundária Carolina Michäelis, no Porto. O PÚBLICO tentou
ontem contactá-lo, sem sucesso.

No entanto, na carta, o professor faz os seus comentários sobre a situação.
"Se a moda pega, instigada que está a delação, poderemos ter, a breve
trecho, uns milhares de docentes presos políticos e outros tantos de boca
calada e de consciência aprisionada, a tentar ensinar aos nossos alunos os
valores da democracia, da tolerância, do pluralismo, dos direitos, liberdade
e garantias e de outras coisas que, de tão remotas, já nem sabemos o real
significado, perante a prática que nos rodeia."


Salazar, Salazar....volta estás perdoado!

sexta-feira, maio 18, 2007

Cinema: Joy Division

Control, o filme que retrata a ascensão e queda de Ian Curtis - falecido vocalista dos Joy Divison - foi aplaudido de pé na sua estreia em Cannes
Alguns vídeos dos JOY DIVISION



Recusada exumação de D. Afonso Henriques

A ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, não autorizou a exumação dos restos mortais de D. Afonso Henriques, que um grupo de investigadores pretendia analisar.
O grupo de investigadores, da Universidade de Coimbra, pretendia analisar as ossadas, depositadas na Igreja de Santa Cruz, de forma a conhecer novos dados sobre o I Rei de Portugal e recuperar o túmulo onde este está sepultado.

Isabel Pires de Lima subscreve assim o parecer do Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR), justificando a recusa com o facto de a investigação ser um risco para a integridade das ossadas e a preservação do túmulo de D. Afonso Henriques.

Em declarações à rádio TSF, Eugénia Cunha, a antropóloga que reuniu o grupo de investigadores, afirmou que “não ter ficou surpreendida” com a decisão, adiantando que “vou contra-argumentar, pois em arqueologia e antropologia não há, obviamente, nada 100% seguro, riscos há sempre alguns, mas estavam todos absolutamente tidos em consideração", sendo que a equipa "saberia o que fazer em cada passo" da investigação.


Artigos Relacionados
29-03-2007 IPPAR recusa abertura do túmulo de D. Afonso Henriques

in: http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=242887&idselect=21&idCanal=21&p=200



Enfim!!!

Virgens

O Papa Bento XVI pediu no Brasil que os jovens permaneçam "virgens" até ao casamento.
E que mantenham um namoro "à moda antiga".

(o prazer é pecado!)

Ouviram!?!?

quinta-feira, maio 17, 2007

quarta-feira, maio 16, 2007

Nus


FERNANDO UREÑA RIB


Amedeo Modigliani, Nu feminino (1916)


Ismael Nery - Nus no Rochedo

O efeito Sócrates

Função pública: acesso ao topo vai dispensar licenciatura

O acesso às carreiras mais altas da função pública vai deixar de exigir licenciatura aos candidatos, salienta o Diário de Notícias esta quarta-feira.
Esta é, segundo o jornal, uma das novidade do novo regime de vínculos, carreiras e remunerações que se encontra em fase final de negociação e que deverá dar entrada na Assembleia da República até final de Junho de modo a entrar em vigor em Janeiro do próximo ano.
Até aqui, a candidatura ao concurso de acesso à carreira de topo na função pública - designada, no regime geral, de técnico superior e cujos vencimentos brutos oscilam entre um mínimo de 1300 euros e um máximo de 2940 - exigia a apresentação de uma licenciatura.

No futuro, esta será ainda a regra geral, mas deixa de ser uma condição necessária.

O n.º 1 do artigo 50.º refere que «em regra, pode apenas ser candidato ao procedimento quem seja titular do nível habilitacional [...] correspondente ao grau de complexidade funcional da carreira e categoria caracterizadoras dos postos de trabalho para cuja ocupação o procedimento é publicitado».

Porém, refere o n.º 2, »a publicitação pode prever a possibilidade de candidatura de quem, não sendo titular da habilitação exigida, considere dispor da formação e, ou, experiência profissionais necessárias e suficientes para a substituição daquela habilitação».

O n.º 3 do mesmo artigo coloca um travão a esta liberdade concedida aos serviços e portanto aos seus dirigentes: a dispensa de habilitação não é admissível quando exista uma lei especial a exigir para determinada carreira um título específico.

A dispensa de habilitação literária específica aplica-se igualmente às carreiras associadas à titularidade do 12.º ano, que é o caso da futura carreira de assistente técnico.

IN: http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?id_news=81218

terça-feira, maio 15, 2007

Despesa pública

Pacheco Pereira na edição anterior da "Quadratura do Círculo" na SIC Notícias afirmou que a despesa excessiva do Estado português se devia ao Governo de Guterres. E a (enorme) despesa da Câmara Municipal de Lisboa se devia ao Governo de João Soares.
Ambos do PS!


Também afirmou que levaria "provas", dados que validariam as suas afirmações.

Vou ficar sentado (no sofá) a ver.

p.s.: Hoje às 23h na SIC NOTÍCIAS, a não perder!

Câmara Municipal de Lisboa

Se tudo correr como indica, o vencedor destas eleições será o PCP.

Duvidam? Façam as contas....
Qual é o partido que mantém os seus militantes? PCP
Quais são os partidos que estão divididos? PS e PSD (com os candidatos independentes)
E os que nunca ganham? BE e CDS


A ver vamos!

segunda-feira, maio 14, 2007

quinta-feira, maio 10, 2007

Distúrbios da esquerda e da direita

É impressionante a pano quente que se passa nos comentários em relação aos distúrbios que se passam em França, após a vitória do candidato de direita.
Os jovens (ditos) de esquerda não concordando com a vitória da direita, começaram a queimar carros e a criar distúrbios em Paris e Leon (pelo menos).
O que dizem os comentaristas de esquerda em Portugal? "é normal"; "são jovens excluídos da sociedade" "desempregados"......Tudo desculpas!


E se fossem jovens de extrema-direita?

segunda-feira, maio 07, 2007

Alberto João Jardim

"O Povo é quem mais ordena"....


Será?

sexta-feira, maio 04, 2007

UNI

Hoje na Nacional 13 (sentido Vila do Conde - Porto), por volta das 7h20 muitos, muitos peregrinos já andavam em direcção a Fátima. Este ano comemora-se os 90 anos das "aparições de Fátima". O que os move? A Fé!

Este ano será inaugurada a Basílica de Fátima.


p.s.: a Cruz Vermelha estava presente com uma tenda de campanha :)

Carmona Rodrigues

Numa coisa o homem tem razão: a politica é só para "politicos de carreira".

Quem for "independente" não tem hipoteses.

quarta-feira, maio 02, 2007

Permuta de professores

Com o fim de ajudar milhares de professores que se encontram deslocados longe de casa, um professor de Aveiro está a finalizar a criação de uma página de permutas de locais de trabalho de professores. Com tantos professores deslocados de suas casas, o mais provável é que se consiga arranjar permutas entre os que querem, no mínimo, ficar mais próximo de casa.
Divulguem o site www.permutas.pt.vu e os professores que estão longe de casa que se inscrevam! Não se esqueçam de consultar o despacho que regulamenta as ditas permutas entre professores - Portaria 622-A/92 de 30 de Junho

quinta-feira, abril 26, 2007

José Afonso (Zeca)



José Mário Branco

Assim vai o país

A "Quimonda" vai fazer um despedimento colectivo.

Esta empresa recebeu recentemente 70 milhões de euros de apoios do Estado e o 1º ministro veio à fábrica em Vila do Conde cantar loas ao investimento e à criação de emprego.

Esta empresa é a 'testa de ferro' das medidas neoliberais do governo e dos grandes grupos económicos e também da flexi-segurança.

Os trabalhadores já fazem jornadas de 12 horas e como a média de idades é muito baixa, e também a sua sindicalização, aliado ao facto de ter uma percentagem de mão de obra a prazo elevada, são presas fáceis das medidas que o governo pretende introduzir.
IN: Texto retirado de um comunicado do Bloco de Esquerda de Vila do Conde
p.s.: Quem se opor às 12 horas...será despedido! é a vida...dura!!

terça-feira, abril 24, 2007

sexta-feira, abril 20, 2007

Eleições em França

Mais um fim de semana que vou ficar preso à TV (na hora dos telejornais) para ver quem vai ganhar as eleições presidenciais em França. Ou melhor, passar à 2ª volta.
Se fosse francês em quem votaria? não sei, mas não votaria nos 2 candidatos (mais) à direita. Se um deles ganhar...mais uns anos de "escuridão" na Europa.
Vive la France! Croissants?

quarta-feira, abril 18, 2007

Indie Lisboa

A não perder este FABULOSO Festival de Cinema "Independente".


Mais info. aqui: http://www.indielisboa.com/

terça-feira, abril 17, 2007

Gasolina portuguesa é das mais caras do mundo

Banco Mundial publicou ontem uma colecção com os principais indicadores de desenvolvimento económico e social. Portugal está mal em várias áreas, como crescimento, desigualdade ou uso da energia. O que têm em comum países como a Eritreia, Coreia, Dinamarca e Portugal? Segundo o relatório ontem publicado pelo Banco Mundial (BM) são as economias com a gasolina mais cara do globo. Em 2006, mostra o estudo do BM, o litro de gasolina estava a ser vendido a uma média de 1,56 dólares em Portugal, mais do que na Finlândia ou Alemanha. Em Espanha, a mesma medida custa 1,15 dólares, diferença que explica, por exemplo, a corrida dos automobilistas portugueses ao outro lado da fronteira para atestarem os depósitos dos carros. (ver em Diário Económico)

quarta-feira, abril 11, 2007

Canudos

Jovem! Se queres ter uma Licenciatura, um MBA, Doutoramento..... Inscreve-te na Universidade Independente.


Se fores politico arranja-se um canudo num fim de semana. É só escolheres. Ainda recebes um brinde surpresa!!!



Aproveita!!


p.s.: nº de canudos limitado ao stock existente.

quinta-feira, abril 05, 2007

Páscoa

BOA PÁSCOA com muitas amendoas, pão-de-ló....




imagem retirada do URL: http://www.aciprensa.com/Banco/images/conejo.jpg

sexta-feira, março 30, 2007

25 de ABRIL, SEMPRE



25 de ABRIL, SEMPRE

25 de ABRIL, SEMPRE

VIVA a LIBERDADE. ABAIXO o FASCISMO. ABAIXO o NACIONALISMO BACOCO.

nem dá para acreditar: http://tv.rtp.pt/gdportugueses/viewtopic.php?p=6241&sid=5fc1a715efe78abfc479b192d0b89e10

quarta-feira, março 28, 2007

Correio Azul

Fui aos Correios do Porto enviar uma carta em correio azul para uma localidade que fica +- a 25km.
Para meu espanto a carta só chegou passado 7 dias. Julgava eu que as cartas enviadas por Correio Azul (mais caras) chegavam ao destino mais rápido, enganei-me!
Para a próxima envio em correio normal.
p.s.: já tinha ouvido falar que o "aparecimento" do Correio Azul foi uma (boa) forma de "roubar" dinheiro aos utentes. Confirmou-se!

segunda-feira, março 26, 2007

Fusos horários

Mudou a hora. Mudou para a hora de Verão.
Ainda bem.

Espero que mantenhamos o "horário da europa" do sul.

Os dias são maiores.

p.s.: é uma das formas para poupar...na LUZ!

sexta-feira, março 23, 2007

ALLGARVE

Enfim!!

Não comento!

quinta-feira, março 22, 2007

Coisas

Hoje acordei ao contrário.

quinta-feira, março 15, 2007

Biblioteca Nacional

Onde guardamos as coisas que mais gostamos?
Os objectos de (mais) valor são normalmente guardados num local especial, longe de sítios onde se possam danificar, longe dos "azares".

A Biblioteca Nacional (BN) é o local, a guardiã do acervo documental (papel e afins) dos "escritos" dos portugueses. TODAS as monografias, periódicos, brochuras, microfilmes, cartas, desenhos, manuscritos (muitos, muito valiosos)..., estão depositadas à guarda de uma lei (Depósito Legal)que obriga a TODAS as editoras a "enviar" à BN (presumo) 13 exemplares de cada exemplar editado. Por vezes não acontece (principalmente nos livros de Arte. São muito caros...e devolver 13 exemplares...), mas essa é outra "estória".
O Depósito legal é obrigatório para salvaguardar o documento para a posteridade. E ainda bem!

Agora vem a minha questão, não será "ilógico" termos a BN num local de risco como Lisboa? (esta questão é igual para a Torre do Tombo - documentos de arquivo).

Quem não leu sobre o Terramoto de 1775, e o legado documental que se perdeu? Vamos ficar a espera que o azar não nos bata à porta? E se bater? Valerá a pena deixar estes "fundos" preciosos num local de risco em vez de o transladar para uma zona mais propícia?

A minha opinião é que se deve mudar a BN e a TT. É assim que fazemos com os objectos que gostamos...protegemo-los!


http://www.bn.pt/
www.iantt.pt/

terça-feira, março 13, 2007

Propinas

O custo anual das propinas para os estudantes universitários ronda os 800 euros.
É muito, dizem eles.

O custo mensal de um infantário ronda os 150 euros. Sem extras (ginástica, música, inglês, computadores....).

Está tudo dito!

"Não pagamos, não pagamos...."

sexta-feira, março 09, 2007

Inimigo Público

E se acabássemos com os funcionários públicos?

Que mal vinha ao mundo?

Passar todos os serviços (ditos) públicos para a mão dos privados é uma consequência normal e natural.


É o rumo que estamos a tomar.

quarta-feira, março 07, 2007

Espreitadelas

Em Santa Comba Dão querem construir um Museu sobre Salazar.

O que terá de positivo, e de negativo?

sexta-feira, março 02, 2007

O que é a Arte?

Como é que definimos o que é Arte, e o que não é?
Existem regras/métodos para definir? Ou será o nosso olhar? A nossa intuição? A nossa harmonia de percepção da forma como captamos o objecto?

Quando é que um critico pode dizer: "isto é Arte, isto não é"?


Um quadro pode valer 100 euros se o "artista" não for conhecido, e pode valer 100 mil euros se tiver se sorte de um critico o "elevar" à categoria máxima.


Elevar um "artista" pode ser fácil ou não. Tudo depende do critico.
Será?

terça-feira, fevereiro 27, 2007

Foi dito e escrito

"O que mais há na Terra, é paisagem".

SARAMAGO, in: "Levantado do chão"

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Zeca Afonso


20 anos depois...


"A formiga no carreiro"...

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

google

Aviso à navegação:

1. eu já supeitava.
2. li um courier internacional de outubro sobre o google e a sua rede tentacular entre outras caracter´siticas encantadoras.
3. para entrar aqui hoje, vi-me grega e troiana. os tipos querem que eu tenha uma google account.
4. e eu vou arrumar as botas neste blogue. quem manda em mim e nas minhas accounts sou eu.
5. por isso, medronho, vou deixar-te a postar sozinho. desculpa.

El ben mas preciado es la libertad!

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Vera Drake




Filme de Mike Leigh, a NÃO PERDER!!

p.s.: e podem ver o trailer aqui: http://www.veradrake.com/


Vera Drake
Título original: Vera Drake
De: Mike Leigh
Com: Eddie Marsan, Imelda Staunton, Richard Graham
Género: Dra
Classificacao: M/16

Estúdios: Film Council, New Line Cinema
EUA/FRA/NZ, 2004, Cores, 125 min.


Argumento:
Londres, 1950. Vera Drake vive com o seu marido e os filhos. Mas Vera tem uma vida paralela, que mantém em segredo e esconde de todos. Apesar de ser ilegal, Vera ajuda mulheres a interromperem gravidezes indesejadas. Vera tem sempre um sorriso e uma palavra de compreensão para estas mulheres, que ajuda sem qualquer tipo de remuneração. No entanto, uma investigação na sequência de um aborto que corre mal conduz a polícia até Vera e a partir daí, a sua vida e a da sua família desabam. Realizado por Mike Leigh ("Nu", "Segredos e Mentiras"), o filme foi nomeado para três Óscares - Melhor Realizador, Melhor Actriz (Imelda Staunton já tinha sido nomeada para os Globos de Ouro por este desempenho notável) e Melhor Argumento Original. Estas nomeações somam-se aos prémios conquistados até agora: Leão de Ouro e Prémio Melhor Actriz no Festival de Veneza, 11 nomeações para os BAFTA (nas principais categorias, entre as quais Melhor Filme e Melhor Actriz) e ainda o Prémio Europeu do Cinema de Melhor Actriz.

IN: PÚBLICO.PT

terça-feira, fevereiro 13, 2007

Viva, viva, viva

Já somos um País Moderno.

Já somos um País Civilizado.

Já estamos na Europa dos Evoluídos.


Já despenalizamos o Aborto.


Ser moderno, civilizado, evoluído é optar entre: mandar as mulheres que fizeram um aborto (ilegal) e leva-las a tribunal (sem serem presas); ou impedir (matar) que um feto atinga maturidade.


Escolhemos a 1ª via.

Viva, viva, viva.




p.s.: como já acabou a campanha, o referendo...achei (mais) correto tomar (só) agora a minha posição civilizacional.

p.s.: cada vez mais centros de saúde e urgencias estão a fechar... Muitos utentes do serviço nacional de saúde não têm médico de familia. Onde ve vai "buscar" médicos, espaço (para colocar o material para realizar um aborto de uma forma digna), dinheiro... para se realizar os abortos?



Ganhou o SIM!

sábado, fevereiro 10, 2007

SIM

SIM
(texto roubado ao Ad Loca Infecta)

"Quem não me deu amor, não me deu nada."
Ruy Cinatti

Mãe, ou pai, é quem cria com amor. Fora disso, não existe senão o automatismo biológico da procriação. Como sabiam os filósofos antigos, não é a vida o que importa, mas sim a dignidade com que a mesma é vivida. Uma criança não desejada é uma criança condenada ao pior dos infortúnios: o desamor. É uma criança, portanto, condenada à indignidade. A menos que tenha a sorte “de ser adoptada e blá-blá com amor etc.” A sorte. Mas a dignidade da vida humana não devia ser uma questão de sorte. Devia ser – adivinharam – um direito. E muito mais importante (ou “sagrado”, se quiserem) do que o propalado direito a nascer.A este respeito, os arcaizantes defensores do Não ao aborto limitam-se a reproduzir chavões de origem religiosa (que muitos confundem com “ética”); pois aquilo a que eles chamam o direito à vida traduz-se, de facto, no mero direito à sobrevivência física, ou seja, à indignidade. (Eu também acho que o mais importante é estar vivo – a minha anedota preferida até é aquela do “Mexeu-se! Mexeu-se!” que por certo conhecem –, mas isso é depois de se ter nascido. Antes, que diferença faz?) E dizem-se então chocados, os do Não, com a ideia de interromper um nascimento; mas não os choca a indigência material, intelectual e moral em que vivem as crianças pobres e não desejadas. (Uma indigência para a qual muitos deles, grandes cínicos, contribuem activamente: legislando, remunerando, despedindo, etc.) É assim, a infelicidade dos outros não os choca, o que os choca é a opinião contrária: a opinião soprada contra as velinhas que os alumiam. Incomoda-os a liberdade dos outros. Assusta-os.

Porque o direito a dispor do seu corpo é, queira-se ou não, uma afirmação de liberdade. Filosoficamente, a coisa põe-se nestes termos: por um lado o direito a nascer, por outro o direito à liberdade sobre o seu corpo. O direito a nascer só se pode “justificar” em termos religiosos; enquanto que a liberdade é um conceito filosófico e político. A natureza é uma armadilha de que não se escapa, sabemos isso, pelo que a liberdade sobre o corpo é sempre condicional. Mas se a natureza, graças à Medicina (invenção, recorde-se, do século XVIII), já não vence todas as batalhas (só a última, a decisiva, ai ai!), se já nos é possível “negociar” com a carcereira natureza, porque haveriam as mulheres de continuar escravas do determinismo biológico? Em rigor, quem aceita combater a natureza com a ajuda da contracepção e da medicina não tem argumentos para proibir o aborto. O que está em jogo, em qualquer tipo de manipulação médica, é sempre a afirmação do homem contra os “abusos” da natureza. A natureza “quer” que as mulheres tenham um filho por ano entre os 13 e os 53, ou assim. Não pode ser, não nos dá jeito nenhum a proliferação caótica. A natureza “quer” que os homens morram de uma apendicite. Não nos dá jeito, também. E por aí fora.

Assim, mais do que o batimento cardíaco, que o bipedismo, mais do que a razão, mais até do que o uso do telemóvel, é o exercício da liberdade que define o homem; e a liberdade é o que caracteriza a vida que é digna de ser vivida. De resto, os médicos sabem disso quando desligam a máquina que mantém artificialmente vivo um doente, ou quando provocam o aborto de um feto mal-formado, ou quando ajudam um doente a suicidar-se. Em todos estes exemplos, aquele ser humano já não pode (ou nunca poderia) ter uma vida digna, uma vida livre: a pessoa em coma está na dependência da sua máquina, tal como o feto mal-formado está condenado à tornar-se num ser totalmente dependente, e o doente terminal está na dependência da natureza e do minuto em que esta decida que o sofrimento dele é já bastante. Razão pela qual, nestes casos, a liberdade e a dignidade do homem são levadas em conta e influem na decisão de interromper a vida. E quem achar que isto é moral e filosoficamente aceitável, não pode condenar a mulher que aborta.

(Curiosamente, a aborto eugénico é candidamente aceite pela maioria dos que fazem campanha pelo Não. O que mais do que uma contradição é um absurdo. De acordo com o meu padrão de valores, o aborto eugénico é bem mais condenável do que o aborto que impede o nascimento de mais uma criança não desejada, pois uma criança deficiente não é necessariamente infeliz, enquanto que uma criança desamada tem tudo para o ser.)Eu seria capaz de compreender a filosofia (mas não de aceitar a prática proibitória) dos anti-abortistas se eles defendessem, coerentemente, a interdição absoluta de interromper a vida. O pacifismo absoluto dos jainistas parece-me respeitável, mesmo que não partilhe as suas concepções religiosas ou metafísicas. Mas não é o pacifismo que move a maioria dos anti-abortistas, pois muitos deles não sentem qualquer embaraço em aplaudir vigorosamente uma guerra ofensiva ou de ocupação, ou a pena de morte. É nestes “vitalistas selectivos” que o mecanismo da estupidez humana assume contornos irracionais, quase atávicos. Alguns deles chegam a defender a obrigatoriedade de as mulheres levaram a gravidez até ao fim porque uma criança representa mais um “trabalhador”, como dizia há dias uma gaja do PP, preocupada não sei se com a extinção da raça tuga se da mão-de-obra para a sua indústria. Incrível! Mas, enfim, deixá-los.

Não queria deixar de me pronunciar sobre este tema, que é inesgotável e apaixonante; mas são 2,50, estou certo que já perceberam o meu nada original ponto de vista (apesar da pressa, do esquematismo, do desalinhavo com que vai para o ar) e por aqui me fico então. Obrigado. -JMS

Subscrevo.

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Diz uma ateia praticante: reflictamos e , depois, votemos SIM

Por opção da mulher,
por Frei Bento Domingues, O. P.
04/02/2007

1.Estava já nas últimas páginas da tese e doutoramento de Vítor Coutinho, defendida na Universidade de Münster (Alemanha) - que investiga o paradigma da fecunda interacção entre Bioética e Teologia, terminando com o elogio da interrogação (1) -, quando fui surpreendido com as respostas ao inquérito do DN (30/01/2007): "Concorda ou não que, na defesa dos seus princípios, a Igreja Católica se envolva directamente na campanha do referendo?" Cinquenta e oito por cento rejeita o envolvimento da Igreja e trinta e quatro por cento apoia a sua intervenção.

Donde virá tanta alergia à intervenção da Igreja Católica, identificada abusivamente com a hierarquia?

Circula, há muito, a opinião de que a Igreja tem uma resposta dogmática, irreformável, para todos os problemas sem se preocupar com as perguntas e com os dramas das pessoas, sobretudo no campo da ética sexual. Ainda agora, na carta aos párocos e paroquianos da diocese de Lisboa sobre o referendo, o cardeal-patriarca expressa, logo no primeiro ponto, uma norma que, segundo alguns, não deixa espaço para o esclarecimento e para a liberdade de consciência: "A doutrina da Igreja sobre a vida, inviolável desde o seu primeiro momento, obriga em consciência todos os católicos. Estes, para serem fiéis a Igreja, não devem tomar posições públicas contrárias ao seu Magistério. O esclarecimento que os católicos são chamados a fazer sobre esta questão tem de ter em conta também os critérios de fidelidade à Igreja.

"Os problemas de consciência nem sempre foram resolvidos desta maneira. Nem é preciso recuar até S. Tomás de Aquino. Joseph Ratzinger, hoje Bento XVI, quando era professor de Tubinga, escreveu um texto, pouco antes da Humanae Vitae (1968), que Hans Küng, seu colega e amigo, transcreve, agora, nas suas Memórias. Só posso deixar, aqui, um fragmento: "Acima do papa, como expressão da autoridade eclesial, existe ainda a consciência de cada um, à qual é preciso obedecer antes de tudo e, no limite, mesmo contra as pretensões das autoridades da Igreja."

Dir-se-á que o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e actual Papa já teve práticas pouco conformes a esta sua luminosa afirmação. Mas não podemos ignorar que, de modos diferentes, toda a Igreja é docente e discente. Esta interacção é, muitas vezes, esquecida para se pensar, apenas, na palavra da hierarquia e na dos leigos que a reproduzem.

2.A corrente laicista, que deseja a Igreja fechada na sacristia, não creio que seja maioritária na sociedade portuguesa, apesar do nosso passado anticlerical. Mas a grande alergia à presença activa da Igreja talvez resulte da ideia de que ela quer fazer da sociedade e do espaço público uma sacristia. As declarações e posições pouco católicas de certos movimentos, personalidades e de alguns padres dão a impressão de quererem entregar à repressão do Estado, do Código Penal, dos tribunais, da polícia, da cadeia, as suas convicções morais - isto é, parece que não confiam na consciência das mulheres, na sua capacidade de discernimento, para percorrerem todos os caminhos necessários até chegarem a uma decisão bem informada, responsável, prudencial, no sentido que a virtude da prudência, virtude da decisão bem informada, tem em Aristóteles e Tomás de Aquino.

Ora, como escreveu o prof. Vital Moreira, "quando se fala em "despenalização" de certa conduta, tanto no discurso leigo como na linguagem jurídico-penal, o que se pretende é retirá-la do âmbito do direito penal e do Código Penal, ou seja, da esfera dos crimes e das respectivas penas. (...) Só a legalização proporcionará condições para fazer acompanhar a decisão de abortar de um mecanismo obrigatório de reflexão da mulher que o pretenda fazer" (2). E nunca se deve confundir o que é legal com o que é moral.

Como dizia Tomás de Aquino, só somos verdadeiramente livres quando evitamos o mal, porque é mal, e fazemos o bem, porque é bem, não porque está proibido ou mandado. Todo o trabalho que a Igreja tem a fazer é, precisamente, o de ajudar as pessoas a caminharem para esse ponto de lucidez. Esclarecer as consciências não é formatá-las, não é impor-lhes uma outra consciência, não é aliená-las. Quando, nas condições e no prazo referidos, se chama "assassinas" às mulheres que recorrem ao aborto - que a Igreja e qualquer pessoa de bom senso desejam que nunca venha a acontecer -, pode estar-se a insultar, exactamente, as que sofrem os dramas que acompanham essas decisões dolorosas. A resposta ao referendo não deve extravasar o âmbito da pergunta aprovada.

3. Em última análise, a grande suspeita em relação à pergunta do referendo está neste fragmento da frase: "por opção da mulher." E porquê? Porque se julga que as mulheres não são de confiança. No entanto, foi a elas que a natureza confiou a concepção e o desenvolvimento da vida humana, durante nove meses.

Para os cristãos, esta desconfiança em relação às mulheres deveria ser insuportável. Não se lê, no Novo Testamento, que a Incarnação redentora ficou para sempre dependente da decisão de uma mulher, Maria de Nazaré (Lc l, 26-38)? Não foram as mulheres - e, segundo a cultura do tempo, não podiam testemunhar em tribunal - que são apresentadas, nos seus textos fundadores, como as grandes testemunhas do processo de Jesus? Não foram elas que testemunharam que Ele estava vivo, quando os Apóstolos já tinham concluído que estava tudo acabado? Não foi Maria Madalena a escolhida, por Jesus ressuscitado, para evangelizar os Apóstolos, para os convocar para a missão (3)?

E certo que os homens, logo que puderam, as subalternizaram. E, até hoje, por serem mulheres, estão, à partida, excluídas de serem chamadas para os ministérios na Igreja.

No debate sobre o referendo, receio que a Igreja - ao não dar sinais claros de respeito pelo pluralismo no seu interior - perca, uma vez mais, a ocasião de se manifestar verdadeiramente católica.

(1) Vítor Coutinho, Bioética e Teologia. Que paradigma de interacção?, Coimbra, Gráfica de Coimbra, 2005.
(2) PÚBLICO, 30/01/2007.
(3) Cf. Maria Julieta Mendes Dias/Paulo Mendes Pinto, A Verdadeira História de Maria Madalena, Lisboa, Casa das Letras, 2006

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Via ecológica: óleos vegetais usados

E depois há o problema dos óleos usados: já todos recebemos por mail aquela mensagem que nos aconselha a colocá-los dentro de uma garrafa de óleo velho para depois a juntarmos ao lixo "normal". Mas fica sempre um grilinho falante na consciência a dizer: mas o que farão ao óelo? Não será o meu gesto apenas ... um gesto inútil?

Bem, a B. mandou-me duas informações preciosas sobre este assunto:
  • O Jumbo de Aveiro recebe gratuitamente essas garrafas para entregar para reciclagem (excelente ideia! SenhorBelmiro, veja lá que o Continente e afins estão a ficar para trás.)

  • A B. também descobiru uma empresa que faz recolha de óleos usados. Basta telefonar e eles fornecem-nos um recipiente próprio para depósito do óleo. Quando o contentor estiver cheio, vêm buscá-lo para o reciclar. Não custa muito, pois não? Então espreitem aqui e vão dando conta da experiência.

Via Ecológica: poupar água

O Venus também me enviou esta informação:

existe um sistema de torneiras que permite, aparentemente, poupar água até 90.000 litros/ano (cálculo para uma família de 4 pessoas) e reutilizar a água do duche e lavatório para a máquina de lavar roupa, autoclismo ou regar o jardim.

Cliquem aqui e ... passem palavra!

Jardineira Vegetariana

Ingredientes:
1 xícara de proteína de soja texturizada tamanho grande(casas de produtos naturais)
2 tomates
1 cebola
1 dente de alho
molho shoyu
sal a gosto
pimenta do reino a gosto
1/2 xícara de salsa e cebolinha picados
10 azeitonas(dê preferência por sem caroços)
1 chuchu descascado e cortado em pedaços
1 batata descascada e cortada em pedaços
150gr de abóbora sem caroços, descascada e cortada em pedaços
1 cenoura descascada e cortada em pedaços.

Modo de Preparo:
Em uma vasilha coloque a proteína de soja texturizada de molho em 3 xícaras de água fervente. Quando ela inchar (leva uns 20 minutos) tirar e espremer para sair a água. Se fornecessário corte ela em 3 partes para parecer pedacinhos de carne. Reserve.
Em uma panela coloque a cebola e o alho para refogar com uma colher de sopa de azeite. Logo em seguida jogue a proteína de soja texturizada e 2 colheres (sopa) de shoyu. Acrescente o sal, a pimenta do reino, as azeitonas e os legumes. Cubra os legumes com água e deixe cozinhar até que eles fiquem macios.
Deixe secar o caldo até onde você achar necessário.
Salpique a salsa e a cebolinha e sirva com arroz branco.

Dica: Deixe a abóbora por cima, pois ela cozinha muito rápido.

Rendimento: 3 pessoas

IN: http://www.bemcomer.com.br/maurorebelo/2006/receita_13_04.html

domingo, fevereiro 04, 2007

Via Ecológica

Já todos sabemos (ou devíamos saber) que a água é um recurso absolutamente precioso que nós, europeus, temos à nossa disposição com uma facilidade tal que nos tornamos inconscientes da sua importância e dos nossos desperdícios. A mim causa-me algum mal-estar usar a água potável que me chega pelas torneiras para regar as plantas, para as descargas do autoclismo, para lavar o pátio, o carro ou a roupa. Não me parece correcto, atendendo a que há demasiada gente no mundo que não tem acesso a água potável para beber. Desde que me mudei para este sítio maravilhoso, comecei a pensar que seria perfeito aproveitar as águas da chuva para todas essas circunstâncias em que á agua não necessita de ser potável.

Sabendo destas preocupaçãoes, o meu bom amigo Venus mandou-me este linque (cliquem, se fazem o favor) sobre uma empresa que fabrica reservatórios para recolher as águas que caem dos céus e as aproveitar, seja em casa com jardim, sem jardim, em condomínios e até em empresas.

Fazemos um favor ao ambiente e poupamos no consumo de água! Ah, esta empresa tem ainda sistemas domésticos (se bem entendi) de produção de biodiesel e de tratamento de águas residuais (ETARs) e ainda recolhe óleos vegetais usados.

Cada vez temos menos desculpas para os nossos desperdícios - e ainda bem!

p.s. eu sei que é publicidade, mas é por uma boa causa.

segunda-feira, janeiro 29, 2007

Assim Não

Gato Fedorento

domingo, janeiro 28, 2007

Para fazer pensar no sim

1.
As razões do meu sim

Voto sim porque a mulher tem o direito a decidir por si sobre o seu corpo, a sua vida, a sua gravidez.

Voto sim porque nenhuma mulher merece ser presa por abortar.
Voto sim porque uma criança só deve nascer se tiver pais que a desejem, a acarinhem, a amem. Pais que tenham possibilidade de proporcionar uma vida feliz e digna a essa criança, sem maus-tratos, fome, tristeza, abandono.
Voto sim porque acredito que um erro de contracepção de dois jovens não deve marcar a sua vida para sempre ao obrigá-los a serem pais quando ainda não sabem o que querem da vida.
Voto sim porque há mulheres e homens com vidas tão difíceis e cruéis em que um filho só viria aumentar as dificuldades.
Voto sim porque sou pai de duas fantásticas meninas e sei o quanto é preciso querer um filho para lhes poder proporcionar um crescimento saudável e não reconheço essa capacidade em muita gente.
Voto sim porque o aborto é um acto tão física e psicologicamente duro que ninguém o faz sem ponderar muito.
Voto sim para acabar com o negócio do aborto clandestino e das suas consequência para as mulheres.
Voto sim porque os métodos contraceptivos por vezes falham.
Voto sim porque algumas das "futuras" crianças iriam ser criadas por familias tão incompetentes e em tão grande crise de afectos que não merecem tal vida (que em muitos casos é mais uma questão de sobrevivência)
Voto sim porque a tão apregoada alternativa não existe. As instituições de acolhimento são poucas e se algumas funcionam bem, outras são depósitos de crianças. E quanto à adopção, todos sabemos os entraves da lei para quem quer adoptar.

Finalmente voto sim porque não devo ser eu a decidir pelos outros e sim cada uma das mulheres e seus parceiros. E só votando sim lhes dou essa possibilidade.

Colocado por patologista no Propriedade Privada


2.
Num tom mais irónico, mas igualmente muito interessante, os textos de Filipe Castro no Oeste Bravio (este e este).

sexta-feira, janeiro 26, 2007

"Ainda Há Pastores", de Jorge Pelicano

Um mau passo para os americanos, um péssimo passo para a humanidade

"Feixe de energia provoca sensação de queimadura e paralisa movimentos
Pentágono apresenta arma revolucionária
25.01.2007 - 19h42 Rita Siza , em Washington

O Departamento da Defesa norte-americano (Pentágono) apresentou hoje um novo e “revolucionário” sistema de defesa destinado a controlar multidões e a repelir ataques em grupo. O Active Denial System, também conhecido por Heat Ray, consiste no disparo de um feixe de energia que provoca uma sensação intensa de queimadura, suficiente para paralisar os movimentos do inimigo, sem contudo provocar danos permanentes nos indivíduos atingidos
."

Aqui está uma arma que aparentemente é óptima, "controla as multidões e os ataques em grupo" sem grandes efeitos para a saúde física dos indivíduos. Então o que me preocupa? A sua utilização para controlar manifestações. Estou perfeitamente a ver manifestações como as que houve contra a invasão do Iraque ou as acções do Greenpeace, por exemplo, a serem controladas por esta via. Com armas destas há o perigo real de os governos as utilizarem para coarctar o direito dos cidadãos a manifestarem-se contra as suas medidas. São armas contra a democracia e pouco podemos fazer contra elas - excepto estarmos atentos para impedirmos que voltem para nós o seu feixe "inócuo".

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Os "valores morais"...

...dos não.
Já há muito referenciados.

Não
Às relações sexuais cujo objectivo não vise a procriação.

Não
À educação sexual nas escolas.

Não
À educação sexual dos filhos no lar materno/paterno.

Não
À utilização de métodos anticonceptivos.

Não
À utilização do preservativo.

Não
À procriação medicamente assistida.

Não
À interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado.

Jagunços entram noutras histórias…

-----------------

Nenhuma mulher deve ser presa, ficar doente, ou morrer, por abortar

EU VOTO! SIM.

O autor destes dois textos é o Zé, do Blogue do Zé. E pu-los aqui porque os subscrevo inteiramente. Sobre este assunto, ler também o Propriedade Privada.

segunda-feira, janeiro 15, 2007

sexta-feira, janeiro 12, 2007

David Beckham


O jogador de futebol inglês D. Beckham vai ganhar 750 mil euros por semana.
Façam as contas quanto é que dá por dia, por hora....por mês, ano....

Um insulto!

quinta-feira, janeiro 11, 2007

Mosaico do Vouga

















O que vale é que neste país há um lugar assim, para gente com muita sorte.
As fotos e a montagem são do Venus e do Tom.

quarta-feira, janeiro 10, 2007

Cicarelli

Ontem foi um "dia negro" para o Brasil.
Proibiram o vídeo "erótico" (?) da Daniela Cicarelli passasse no site YouTube. Pior, cortaram o acesso (total) ao site YouTube. Ninguém no Brasil podia fazer ligação é este site. Um autentico apagão!
Foi um dia de CENSURA à moda antiga.

Passem pelos "blogues" brasileiros para verem a celeuma que está a dar este tema. E não estou a falar do vídeo, mas sim do "ACTO de CENSURA"!

Parece que o fruto proibido...é o mais apetecido!


p.s.: claro está, muita boa gente (no brasil) andou a ganhar dinheiro à custa...dos curiosos! Os tais "experts", "fura redes"...

sábado, janeiro 06, 2007

Estou enjoada deste país

ou a fúria dos justos:

"Trabalho desde os 19 anos ininterruptamente, sustentando com o meu marido uma família. Pago impostos colossais e dos serviços públicos nada recebo a não ser exigências cada vez mais desmedidas, total incompetência e irresponsabilidade, e resmas de papéis para preencher e de impostos, taxas e contribuições de todos os tipos para pagar. Acompanhei - e estou ainda a acompanhar - até à morte os velhos da minha família, sem qualquer ajuda dos serviços públicos, e a custos astronómicos.

Não sou ainda uma pessoa conformada: peço ajuda, sugiro, reclamo, na medida das minhas forças e do tempo disponível. Mas não suporto mais a surdez, a indiferença, a cobardia e a arrogância de quem é suposto servir-nos, que pagamos a custos astronómicos e que há muito se esqueceu da sua função e obrigação primeira! Sinto-me desiludida, espoliada e indignada! Estou farta de sustentar parasitas de todos os tipos e de não poder contar com nada, a não ser a minha família e eu própria. E aviso: "Cuidado com a fúria dos justos". Estamos a atingir o limite da tolerância. Estamos fartos, fartos, fartos! "

(Rosário Vasconcelos, utente dos STCP, certamente enjoada e enojada com este país.)

Estou enjoada deste país

É nisto que dá ler o jornal, ouvir rádio ou ver televisão. Só apetece vomitar a pátria para a sanita e ir ali ao Norte comprar outra. Estou a começar a ter fortes arrepios de pessimismo com o que vou lendo e ouvindo.
  • O governo aumenta os impostos da gasolina, mas não obriga as gasolineiras a baixar os preços, ainda que o gasóleo esteja neste momento a 55 dólares por barril, ou seja, a preços de Junho de 2005.
  • O governo criva-nos de impostos directos e indirectos mas recusa-se a criminalizar o enriquecimento ilícito.
  • O governo quer esvaziar os sistemas públicos de ensino e o de saúde, supõe-se que para os entregar a preço de saldo aos pivados.
  • O governo (e a oposição!) atiram-se a Ana Gomes por ela insistir que algo cheira muito mal na questão dos presos de Guantanamo que terão passado pelas Lajes.
  • Etc, etc, etc.


Para isto não era preciso governo, nem era preciso eleições, nem eram precisos partidos com a palavra "socialismo" no nome ou nos estatutos. O Santana Lopes ou o Paulo Portas não teriam feito melhor.


Estou enjoada deste país

do Público de hoje:

"Qual torre de Pisa, o edifício Austral, em Quarteira, desviou-se cerca de 30 centímetros da vertical desde a sua construção, há cerca de cinco anos." O dono da obra, entretanto, desapareceu. A Câmara diz que o alvará de licença de utilização foi passado com base na declaração do técnico responsável pela obra em como garante que a construção está de acordo com o projecto por si feito. Declarações do técnico, a propósito de um defeito grave de construção: "O betão foi efectuado por uma empresa da especialidade, não estive lá nesse dia".

Mais um caso em que me cheira que quem se lixa são os tansos dos portugueses que acreditam na boa fé dos outros.

Estou enjoada deste país

do Público de hoje:

"A morte de seis náufragos à beira de uma praia e de uma criança deixada nas mãos de uma família perigosamente disfuncional - tendo sido accionados os serviços responsáveis por prevenir e salvaguardar estas situações, mas que não actuaram por pura incúria - vem demonstrar como o Estado falta em situações em que não devia nem podia falhar." (São José Almeida) Leiam este artigo, pois não lhe posso acrescentar nada, a não ser que o resultado da leitura pode ser uma frase como a que intitula este poste.

Estou enjoada deste país

do público de hoje:

"A direcção de programação da RTP decidiu transferir todos os tempos de antena, emitidos fora do período eleitoral, das 20h00 para as 19h00. A alteração significa que esses programas passarão a ser vistos por metade da audiência habitual, ou seja, terão menos 500 mil espectadores do que quando eram transmitidos minutos antes do início do telejornal." Vá lá, não incomodemos muito as pessoas com informação não tratada primeiro por nós, disseram os membros da direcção, as pessoas já sabem mais do que deviam saber. Pão e circo chegam perfeitamente.

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Caxinas


Caxinas está em LUTO, hoje vão a enterrar 3 Homens do MAR.

Todos os anos há Homens das Caxinas que morrem no mar. Muitos deles não são referenciados pelos meios de informação/comunicação. Não há ano que não morra um pescador em Espanha. Ainda este ano já faleceram 2.

Hoje é mais um dia de luto. Um dia de Tristeza para toda a comunidade piscatória de Caxinas. É uma dia de Emoções. É uma dia de Revolta. É uma dia em que os pescadores dizem adeus a mais 3 colegas de profissão.

O que aconteceu na praia da Nazaré, só acontece em paises subdesenvolvidos. É lamentável que não haja meios de socorro junto às praia, e portos marítimos. É lamentável que se VEJA morrer 6 pessoas da praia, e a revolta pela impotência dos que pretendiam ajudar. É lamentável que se viva num país onde ninguém é culpado.


Só lamento a perda de 6 vidas de Homens do Mar, da minha terra, CAXINAS!

Caxinas é a maior Comunidade Piscatória do país. E depois!?!? NADA!

Enfim!!

p.s: a Igreja Paroquial das Caxinas é uma estrutura de um BARCO, em homenagem a TODA a Comunidade piscatória. Quem não conhece, faça o favor de visitar.