terça-feira, maio 22, 2007

Pide, Stasi...

Um professor de Inglês, que trabalhava há quase 20 anos na Direcção Regional
de Educação do Norte (DREN), foi suspenso de funções por ter feito um
comentário - que a directora regional, Margarida Moreira, apelida de insulto
- à licenciatura do primeiro-ministro, José Sócrates.

A directora regional não precisa as circunstâncias do comentário, dizendo
apenas que se tratou de um "insulto feito no interior da DREN, durante o
horário de trabalho". Perante aquilo que considera uma situação
"extremamente grave e inaceitável", Margarida Moreira instaurou um processo
disciplinar ao professor Fernando Charrua e decretou a sua suspensão. "Os
funcionários públicos, que prestam serviços públicos, têm de estar acima de
muitas coisas. O sr. primeiro-ministro é o primeiro-ministro de Portugal",
disse a directora regional, que evitou pormenores por o processo se
encontrar em segredo disciplinar. Numa carta enviada a diversas escolas,
Fernando Charrua agradece "a compreensão, simpatia e amizade" dos
profissionais com quem lidou ao longo de 19 anos de serviço na DREN
(interrompidos apenas por um mandato de deputado do PSD na Assembleia da
República).

No texto, conta também o seu afastamento. "Transcreve-se um comentário
jocoso feito por mim, dentro de um gabinete a um "colega" e retirado do
anedotário nacional do caso Sócrates/Independente, pinta-se, maldosamente de
insulto, leva-se à directora regional de Educação do Norte, bloqueia-se
devidamente o computador pessoal do serviço e, em fogo vivo, e a seco, surge
o resultado: "Suspendo-o preventivamente, instauro-lhe processo disciplinar,
participo ao Ministério Público"", escreve.

A directora confirma o despacho, mas insiste no insulto. "Uma coisa é um
comentário ou uma anedota outra coisa é um insulto", sustenta Margarida
Moreira. Sobre a adequação da suspensão, a directora regional diz que se
justificou por "poder haver perturbação do funcionamento do serviço". "Não
tomei a decisão de ânimo leve, foi ponderada", sublinha. E garante: "O
inquérito será justo, não aceitarei pressões de ninguém. Se o professor
estiver inocente e tiver que ser ressarcido, será."

Neste momento, Fernando Charrua já não está suspenso. Depois da interposição
de uma providência cautelar para anular a suspensão preventiva e antes da
decisão do tribunal, o ministério decidiu pôr fim à sua requisição na DREN.
Como o professor, que trabalhava actualmente nos recursos humanos, já não se
encontrava na instituição, a suspensão foi interrompida. O professor voltou
assim à Escola Secundária Carolina Michäelis, no Porto. O PÚBLICO tentou
ontem contactá-lo, sem sucesso.

No entanto, na carta, o professor faz os seus comentários sobre a situação.
"Se a moda pega, instigada que está a delação, poderemos ter, a breve
trecho, uns milhares de docentes presos políticos e outros tantos de boca
calada e de consciência aprisionada, a tentar ensinar aos nossos alunos os
valores da democracia, da tolerância, do pluralismo, dos direitos, liberdade
e garantias e de outras coisas que, de tão remotas, já nem sabemos o real
significado, perante a prática que nos rodeia."


Salazar, Salazar....volta estás perdoado!

6 comentários:

Esteva disse...

Cá estou eu para baralhar, como de costume:

1. Esta tipa não sabe o que é democracia e vou ler a minha constituição de bolso pois tenho a certeza absoluta que esta sua decisão, baseada em argumentos TÃO INTELIGENTES quantos os citados pelo Público, vai absolutamente contra a lei essencial deste país.

2.O Salazar NÃO ESTÁ PERDOADO. Nunca estará. O Sócrates e a Milu é que ascenderam (às claras, porque às escuras já lá estavam) ao Olimpo dos idiotas anti-democráticos. Só por que há mais idiotas, não significa que se perdoe aos idiotas que acumulem com a designação "criminosos".

3- Esse Charrua NÃO É PROFESSOR, é um funcionário da DREN (como muito bem lhe clhamou hoje o provedor de justiça ao pedir à tipa que se explicasse). Eu sei que nesta trapalhada toda chamarem-lhe professor é um pormenor, mas irrita-me esta apropriação por parte dos meios de comunicação social e o seguidismo acéfalo que se lhe segue, exemplo "soubeste daquele professor que contou uma anedota?". O charrua é tanto professor como o sócrates é engenheiro (ao que consta, neste último caso). Eu sei q este ponto treês parece um comentário idiota, mas não é. A questão é: se se dissesse "funcionário da dren q há 20 anos foi profe foi suspenso por dizer uma piada sobre o sócrates" será que os títulos dos jornais pareceriam à maior parte das pessoas indignadas tão indignantes? Cheira-me que não. Alegar que alguém é professor ainda vende jornais, por incrível que pareça.

4. o que digo no ponto anterior é porque eu tenho pena que o charrua não seja profe, eu gostava mesmo é q esse tipo fosse MESMO professor, ai gostava, gostava. Gostava de me juntar ao coro e dizer montes de coisas, por exemplo o que se passa nas escolas quando há greves, aproveitava-se e lava-se a roupa suja toda. mas o tipo não profe.

5. espero q a directora da DREN seja supensa da sua actividade e volte à escola de onde provém e que passe um ano inteiro a fazer substituições, isto depois de ser devidamente condenada em tribunal pela arbitrariedade das suas OPINIÕES.

besitos, medronho.

Anónimo disse...

Amigo esteva, tem toda a razão, o Fernando Charrua não é profe, é um político e um tachista - 20 anos num gabinete enquanto os outros labutavam. Teve foi azar porque o governo é PS e o gajo é do PSD e não teve tento na língua. Mas descansem todos, vai-se safar e ainda vai virar herói. Se fosse mesmo profe é que estava lixado e apanhava uma aposentação compulsiva ou coisa pior. E ninguém queria saber dele, nem os jornais, nem os sindicatos, nem a oposição. Vamos lá é a usar os neurónios ...

medronho disse...

Socrates com tiques de Salazarento: 2007

1º Criação da Base de Dados dos funcionários públicos grevistas.
2º Autocarros impedidos de entrar em Lisboa (claque do FCP).
3º Bufos entre os funcionários públicos (siadap e dren)
4º....

Estamos a andar "A passo de caranguejo" (Ler Umberto Eco)

Salazar NUNCA MAIS!

Zimbro Vermelho disse...

tirado do jn (manuel antónio Pina http://jn.sapo.pt/2007/05/23/ultima/os_guardioes_poder.html)
"…A referida directora regional de Educação (!) reconheceu em tempos (JN, 15/10/2006) que "estamos no século XXI e ainda temos muita herança do tempo do Estado Novo"…"

agora tirado da rtp (http://www.rtp.pt/index.php?article=283037&visual=16)
"…A frase que terá originado a decisão da directora Regional de Educação do Norte ainda não foi divulgada oficialmente, mas o Correio da Manhã, na edição de hoje, citando uma fonte oficial não identificada refere que a polémica terá sido provocada pela frase "Estamos num país de bananas, governado por um filho da... de um primeiro-ministro"…"

se foi isto é grave, afinal o homem é um educador colocado num tacho qualquer longe da canalhada e se calhar ainda tem os cabelos todos. é grave, mas mais ou tão grave é ter alguém à frente da dren-norte que diz "… o senhor primeiro-ministro é primeiro-ministro de portugal…"

esta merda é só tachos, com uns fdp de ambos os lados a lamber cus a gregos e a troianos.

e também tirado da rtp (http://www.rtp.pt/index.php?article=283081&visual=16)
leiam que é muito bom, isto sim, dá pra relaxar.

Joshua disse...

Não haver vergonha na cara! Margarida Moreira é uma tiranete. Cuidado lá com ela. Há sempre cães de fila a morder e a rosnar aos pobres de nós que passamos!

MONTENEGRO disse...

AFINAL, SALAZAR VOLTOU PELA MÃO DE UM CEREJO, EMPREGADO DO BELMIRO, INVESTIGAR COISAS DE HÁ 25 ANOS ATRAZ É MORBIDO. SASSETI NÃO FAZIA MELHOR